Comments are off for this post

Família

“A família é a principal célula da sociedade”… Ou pelo menos era.

Por séculos e séculos a família existiu em perfeita harmonia com a sociedade, porque ambas entendiam perfeitamente o seu papel de complemento uma da outra. A sociedade oferecia ambiente saudável e propicio para o crescimento da família, e essa em turno produzia indivíduos saudáveis para o desenvolvimento de uma sociedade forte. Cada qual cumpria o seu devido papel à risca e sem intromissão uma da outra.

Porem, com o passar do tempo essa parceria, instituída por Deus desde o Éden, começou a sofrer o desgaste de milênios de convivência, e passou então a dar sinais de corrosão e divisão interna, iniciando assim um processo perigoso de distanciamento de ambas as partes.

Hoje temos um relacionamento desordenado onde a sociedade impõe regras ditatoriais de conduta ao individuo, restringindo sua liberdade de ação, escolha e até mesmo de expressão. Onde a família tem sido re-moldada por teorias absurdas e insensatas, que colocam diante dos jovens e de meras crianças um arquipélago de decisões a serem tomadas sem a ajuda ou interferência de pais ou mestres. Uma sociedade que comprime a família a um limite quase insuportável, exigindo de seus cabeças um sacrifício impensável de tempo, desatando assim os laços de afinidade e de amor entre pais e filhos, causando uma desintegração familiar, multiplicando o desrespeito entre os seus membros e lançando-os cada qual em uma direção diferente.

Temos ainda como resultado dessa deformidade relacional, a invasão irrestrita da família por uma tecnologia altamente veloz, nem sempre vista como beneficio, mas sim como um mecanismo de segregação, esfriamento e endurecimento sentimental do individuo.

A tecnologia que reduz as distancias e acelera a comunicação, é a mesma que radicaliza ideais e facilita a criação de mundos e universos individuais em detrimento de uma vida familiar saudável. Temos também um crescimento vertical da incapacidade da família de produzir indivíduos saudáveis e intelectualmente fortes que venham a ser colunas da sociedade. Enfraquecendo, portanto, o papel da família no mundo.

Porem a restauração dessa harmonia só pode ser alcançada através de Deus, aquele que criou tanto a sociedade como a família. E através de pais de família que, reassumindo seu papel de sacerdotes de seus lares, se submetam novamente à direção de Deus, aprendam a remir seu tempo, dando a seus filhos e cônjuges tempo de qualidade, reatando e fortalecendo uma vez mais os laços familiares. E assim sendo a família voltará a ser uma vez mais a “Célula principal da sociedade.”

Edilton Vilela, Diacono e Membro fundador da Pibborlando.

 

Translate »